Enquanto as sardinhas se desesperavam ao ver o bitcoin caindo abaixo dos US$ 40 mil no início da semana, as baleias foram às corretoras comprar a queda da criptomoeda líder do mercado.

Os gráficos da empresa de dados blockchain CryptoQuant mostram que um total de 29.371 BTC deixaram as exchanges de criptomoedas na terça-feira (11), a maior saída de BTC registrada desde o dia 10 de setembro de 2021.

O montante de ativos saindo das corretoras foi equivalente a cerca de US$ 1,2 bilhão, levando em conta que o preço do bitcoin variou entre US$ 41 mil e US$ 42 mil no dia que o marco foi batido.

Fluxo líquido de bitcoin nas exchanges
Fluxo líquido de bitcoin nas exchanges (Fonte: CryptoQuant)

A estimativa do CryptoQuant leva em conta a diferença entre moedas entrando e saindo das corretoras (entrada – saída = fluxo líquido). Quando essa métrica sobe, significa que há um  aumento da pressão de venda, com mais criptomoedas voltando para as plataformas de negociação. 

Quando o contrário acontece e o fluxo líquido fica no negativo, significa que essas moedas estão sendo compradas e retiradas das corretoras para a custódia pessoal dos investidores. 

Curiosamente, após essa massiva retirada de ativos das exchanges — e com o empurrãozinho do Federal Reserve que animou o mercado financeiro ao descartar o aumento de juros já para março—, o preço do bitcoin começou a subir

Nesta quarta (12), a criptomoeda engata uma valorização de 5,8% nas últimas 24 horas, valendo cerca de US$ 43.800, segundo o CoinMarketCap. Já o Índice do Portal do Bitcoin mostra que nas corretoras brasileiras, o BTC é negociado por volta de R$ 246 mil, sua melhor cotação em quase uma semana.

Dinheiro inteligente volta a acumular bitcoin

Nesta semana começou a ser reduzida a pressão de venda de bitcoin que se intensificava desde o final do ano passado, à medida que força compradora parece voltar ao mercado cripto, de acordo com o analista on-chain Maartunn, 

A análise do trader publicada no CryptoQuant leva em conta dados do Coinbase Premium Index, que rastreia a movimentação de bitcoin na maior corretora dos EUA.

Uma força de venda vinda da Coinbase estava se tornando cada vez maior desde o dia 24 de dezembro. Essa pressão de venda, entretanto, foi neutralizada no dia 6 de janeiro e na última sexta-feira (7), começou a ganhar corpo uma maior pressão de compra na exchange em questão.

“Notável é que isso foi em torno da menor consolidação [do bitcoin], em torno de US$ 41 mil”, apontou o analista. 

Coinbase Premium Index
Coinbase Premium Index (Fonte: CryptoQuant)

Já o analista yourdefiguide, também em publicação no CryptoQuant, projeta que o “dinheiro inteligente” pode começar a acumular mais bitcoin em breve, uma vez que a atual fase de liquidação e acumulação da criptomoeda mostra muitas semelhanças com a que aconteceu de maio a julho de 2021, conforme mostra o gráfico abaixo.

“Pode ser inteligente começar a acumular BTC quando a relação comprador-venda estiver acima de 1 e próxima de 1,02”, sugeriu o trader.

Fases de fase de liquidação e acumulação do bitcoin
Fases de fase de liquidação e acumulação do bitcoin (Fonte: CryptoQuant)

O post Baleias vão às compras e US$ 1,2 bilhão em bitcoin deixa corretoras em um único dia apareceu primeiro em Portal do Bitcoin.

VER ARTIGO ORIGINAL